sábado, 10 de abril de 2010

Tudo Que Eu Sempre Sonhei, lançado no ano passado, foi o primeiro album dos paulistanos do Pullovers (foto) cantado totalmente em português. Mais do que isso, o grupo ampliou seu leque de estilos, flertando, inclusive, com o samba paulistano. Luiz Venâncio, único remanescente da formação original (o grupo existe desde 1999) nunca esteve tão inspirado e as letras deste disco demonstram isso como a ótima “O Amor Verdadeiro Não Tem Vista Para o Mar” que abre nosso playlist de hoje dedicado ao indie nacional. Na sequencia tem Britônicos, Ludov, Rockz, Luisa Mandou um Beijo, Móveis Coloniais de Acaju, Graveola e o Lixo Polifônico, Superguidis, Gulivers, O Círculo, Quase Coadjuvante e Seychelles.



Seleção Musical de Ricardo Pereira.

01 – PULLOVERS, “O amor verdadeiro não tem vista para o mar”
In: Tudo que eu sempre sonhei, 2009.

02 – BRITÔNICOS, “Abstinência”
In: Demo, 2010.

03 – LUDOV, “Sintonia”
In: Single, 2007.

04 – ROCKZ, “A Tal Coisa”
In: Disco’08, 2008.

05 – LUISA MANDOU UM BEIJO, “Amarelinha”
In: Luisa Mandou um Beijo, 2005.

06 – MÓVEIS COLONIAIS DE ACAJU, “Bem Natural”
In: C_mpl_te, 2009.

07 – GRAVEOLA E O LIXO POLIFÔNICO, “Dois Lados da Canção”
In: Graveola e o Lixo Polifônico, 2008.

08 – SUPERGUIDIS, “Discos Arranhados”
In: Superguidis, 2006.

09 – GULIVERS, “Este Seu Jeito”
In: Dias Elétricos, 2008.

10 – O CÍRCULO, “Depois de Ver”
In: Depois de Ver, 2007.

11 – QUASE COADJUVANTE, “Café com Maçã”
In: Tributo ao que ainda está por vir EP, 2009.

12 – SEYCHELLES, “Poder para o povo”
In: Nananenem, 2008.

Nenhum comentário:

Postar um comentário